Header Ads

Mantida a prisão preventiva de acusado de matar delegado durante bebedeira em clube



O juízo da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Porto Velho manteve a prisão preventiva de Édipo Teixeira Pereira, acusado de ter assassinado o delegado de polícia José Valney Calixto, ocorrido dia 25 de julho passado, em uma chácara no setor leste da capital. O acusado foi preso em flagrante no dia do crime, tendo sua prisão convertida em preventiva.

Ao negar o habeas corpus, o Juízo ressaltou alguns fatos antecedente ao assassinato, ocorrido após uma acalorada discussão entre a vítima e o acusado. Édipo foi uma das pessoas que sacou a arma e efetuado disparos na cabeça do delegado, mesmo este já rendido e dominado. A arma do crime, um revólver calibre 38, é compatível com o projétil rAetirado do corpo do delegado.

Uma pistola do delegado .40 também teria sido usada no crime até hoje não foi utilizada. Segundo o juízo, o crime teria tido a participação de outras duas pessoas, de acordo o Inquérito instaurado pela Delegacia de Homicídios de Porto Velho.

“Com essas considerações, INDEFIRO o pedido de revogação formulado por Édipo Teixeira Pereira.

Oportunamente, junte-se cópia desta decisão do processo principal (ou IPL)”


Foto: Da Redação

Fonte: Da Redação

Nenhum comentário