Header Ads

OMS admite não atingir meta de entregar 2,4 bilhões de doses da vacina contra Covid-19 em 2021



A Organização Mundial da Saúde (OMS) tinha a meta de distribuir 2,4 bilhões de vacinas contra Covid-19 via consórcio Covax Facility em todo o mundo até o final de 2021. O objetivo da OMS era vacinar até 20% da população de todos os países que assinaram o acordo da Covax, mas um dos gargalos está sendo a capacidade de produção e o fornecimento de imunizantes das produtoras para o consórcio.

Outros fatos que prejudicaram vacinação em um maior número de pessoas no mundo foram atrasos na produção, falta de insumos, seringas e agulhas para aplicação e dificuldades logísticas. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com Katherine O’Brien, diretora de imunização da OMS, a principal consequência dos atrasos é uma vacinação desigual no mundo. Países como o Reino Unido ou Israel têm mais de 60% de sua população imunizada e outros, principalmente na África subsaariana e sudeste asiático, apresentaram na média menos de 5% da população vacinada.

"Estamos muito distantes da distribuição igualitária das vacinas, que é o que desejamos atingir globalmente, como uma só comunidade. E o gargalo principal para isso é a demanda das produtoras, que apresentam atrasos na produção e oferecem seu produto para países ricos", afirmou a dirigente em um painel durante o Congresso Mundial de Vacinas em Washington, que neste ano foi totalmente virtual.

"Esse problema está nas mãos dos investidores das farmacêuticas. Eles precisam resolver essa questão de oferta e demanda. Nós podemos atuar na distribuição dessas vacinas, mas, se elas não forem repassadas, não podemos fazer nada", acrescentou.


Fonte: Brasil 247

Nenhum comentário