Header Ads

Comissão temporária da Assembleia realiza primeira reunião para análise dos decretos da pandemia



O Deputado Anderson Pereira (PROS) comandou na tarde desta quarta-feira, 24, a primeira reunião extraordinária da comissão temporária instalada para analisar e contribuir com dos decretos do governo do estado, com relação à pandemia do novo Corona Vírus (Covid-19) em Rondônia. A intenção da comissão é reunir a opinião de empresários, profissionais de saúde, profissionais liberais e da sociedade em geral sobre os efeitos provocados pelos decretos no setor produtivo, bem como ajudar na busca por soluções para minimizar os efeitos da pandemia.

A reunião foi realizada de forma mista, com a participação dos deputados Anderson Pereira e Chiquinho da Emater (PSB) direto do plenário da Assembleia Legislativa, e dos deputados Alex Silva (Republicanos) e Eyder Brasil (PSL) de forma remota, além de empresários e profissionais, também de forma remota.

Um dos mais ativos empresários da área de educação de Rondônia, Augusto Pellucio pediu que a Comissão solicite ao governo do estado informação sobre as avaliações e os números do controle de casos alcançados com os decretos que vem sendo publicados há cerca de um ano, pois acredita que não têm surtido efeitos práticos, uma vez que o número de casos e de mortes por Covid-19 só tem aumentado neste período.

“As pessoas não podem ir para os restaurantes onde os protocolos estão sendo efetivos, o comércio fecha as portas ou é limitado o número de clientes e o horário de atendimento, as escolas estão fechadas há 12 meses, mas a população continua se reunindo em casas particulares, promovendo as suas festas sem o mínimo de cuidado ou distanciamento, sem que o estado interfira de alguma forma. Precisamos saber do governo do estado o que tem sido feito e quais os resultados práticos desses decretos, se é que eles existem”, disse Pellucio.

O Empresário Jair Silva Gomes, presidente da Associação Comercial de São Miguel do Guaporé pediu explicações do governo do estado quanto a investimentos feitos para o controle da Covid na região do Vale do Guaporé e porque a região, que está com os casos controlados, está sendo inserida no decreto exatamente como outras regiões, onde o vírus tem se proliferado de forma mais ávida.

A empresária Silvia Silva Oliveira Couto também perguntou onde o governo do estado busca os números para se basear na edição dos decretos limitando os horários e o número de pessoas no mesmo local. Ela defendeu o protocolo do uso do tratamento precoce e sugeriu a contratação por parte do Governo do Estado, de um laboratório para agilizar exames e diagnósticos para a população.

A médica Flavia Lenzi também lembrou sobre a necessidade dos exames e o tratamento precoce e destacou o atendimento do Serviço Assistencial Multidisciplinar e Domiciliar (Samd) do governo do estado em Porto Velho e pediu maior participação da prefeitura da capital para o atendimento hospitalar, o que ajudaria a desafogar os hospitais.

“Não existe tratamento precoce sem exames e acompanhamento efetivo, e um exemplo positivo deste acompanhamento é o trabalho do SAMD, onde uma equipe de saúde vai à casa do paciente, faz o acompanhamento e evita que se ocupe leitos de hospitais, orientando as famílias sobre os procedimentos necessários para o tratamento” disse a médica.

Numa preocupação com as demais regiões do estado, a empresária Sofia Andrade solicitou à comissão para que apure junto ao governo do estado o que tem sido feito e o que há de projetos para as demais regiões do estado possam trabalhar no combate à Covid-19. Em especial, ela pediu melhor atenção da secretaria de Saúde para o município de Guajará Mirim, onde segundo ela não há Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) disponíveis e os pacientes mais graves que precisam dessa atenção mais intensiva estão tendo que esperar abrir vaga em UTI nos hospitais de Porto Velho para serem transferidos e que muitos estão morrendo na espera destas vagas, uma vez que a capital vive o ápice de casos e superlotação dos hospitais que cuidam dos casos do novo Corona Vírus.

O Deputado Chiquinho da Emater sugeriu uma mobilização maior do governo do estado por mais vacinas para a população e sugeriu ao governo federal a criação de uma linha de crédito para que as empresas possam se restabelecer depois do que definiu como avassaladora pandemia de Covid-19.

Entre as deliberações da Comissão, o deputado Eyder Brasil foi eleito como relator e uma nova reunião foi agendada para o dia 03 de março, para que novas sugestões sejam realizadas e se prepare um documento a ser entregue ao governo do estado, Secretaria de Estado de Saúde e demais órgãos, para juntos se construir um melhor encaminhamento das ações de combate à pandemia.

Finalizando a reunião, o empresário Cézar Zoghbi, também de forma on line, parabenizou a aproximação da Assembleia Legislativa com os empresários, profissionais liberais e de toda a comunidade a fim de ouvir as reivindicações da sociedade, até como uma forma de contraponto aos decretos editados pelo governo do estado.

“Precisamos caminhar mais próximos para sairmos mais breve possível desta situação de calamidade. O apoio dos 24 deputados estaduais, representando todas as regiões do estado é muito importante para que possamos promover o diálogo com o governo, analisando mais minuciosamente cada situação e buscando um ponto de equilíbrio entre as restrições e a preservação dos empregos, das empresas e das vidas dos rondonienses”, disse o empresário.

Para a reunião da próxima quarta-feira, 03, serão solicitadas a participação do presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho, do prefeito ou representante da prefeitura da Capital, representante da bancada federal de Rondônia, do Ministério Público do Estado e do Ministério Público do Trabalho para que possam explanar as ações ou serviço de fiscalização de cada órgão, no combate à pandemia.

Texto: Jocenir Sérgio Santanna - ALE/RO

Foto: Diego Queiroz-ALE/RO

Nenhum comentário